Monday, 21 March 2011

*a* solução para cabelos mal cortados

Demorei para postar porque saí de Londres e fui para Milão, e fui ficando cada vez mais cansada de ir sempre dormir tarde e acordar super cedo para tentar aproveitar os dias além do trabalho. No mais, só consegui as fotos do meu cabelo no final da semana, e achei melhor esperar a primeira lavagem das extensões pra ver como realmente ficava tudo. Pois bem, vamos ao relato:

Pra quem é marinheira de primeira viagem ou não tem lido o blog ultimamente, devo dizer que esse é o post mais recente de uma série sobre meus cabelos. Eles estavam enooooormes (mesmo, quase na cintura) e eu há tempos queria cortá-los. Ele também havia sido bem estragado com alguns cabelereiros/tinturistas menos comedidos, e eu não ajudei no processo, colocando mil tinturas de caixinha pra tentar corrigir os erros dos cidadãos e até usando um colour stripper - um produto que não é à base de amônia ou água oxigenada, e sim de enxofre, e remove toda a cor que está dentro das cutículas. O resultado? Um cabelo super laranja, já que o meu original é castanho médio e eu passava tintura mais clara.

Mas tudo isso é somente o início de uma longa estória que já dura quase três anos, com mil tratamentos pra tentar recuperar a condição péssima que os cabelos ficaram, cortando pouquinho para dar mais força e paciência. MUITA paciência. E aí chego a duas semanas atrás, onde eu já estava mais do que de saco cheio do meu cabelón, já havia usado todos os tratamentos possíveis e imaginários pra melhorar a condição dos fios e queria mudança. RADICAL. Entra em cena o corte midi - pra quem não sabe do que estou falando, é esse aqui:




Meu desejo? Um corte igual ao de Freja Beha Ericsen, a morena na foto acima com um franjão lindo. Tá, eu sei que o rosto e o corpo não vem junto com o cabelo, mas não custa nada desejar ter esse olhar 43 que ela tem né. Quem sabe o cabelo não ajuda...

E lá fui eu pro cabelereiro. Nesse momento devo dizer que não era qualquer cabelereiro, fui à pessoa que vinha cuidando do meu cabelo a um ano, que melhorou a condição dele absurdamente - ou seja, uma pessoa de confiança. Ou eu achava.

No Brasil houve uma quantidade absurda de pessoas que falaram pra eu não cortar o meu cabelo. Eu sei que o país tem uma certa obsessão com madeixas extra-large, mas eu não tinha noção que o negócio era assim tão sério. E isso me balançou. Fiquei com uma dúvida que persistiu até o salão, e compartilhei-a com minha cabelereira. E aí veio o alerta número 1: ao invés dela me dizer "então corta suas pontas, volta pra casa, pensa mais e vem quando estiver tranquila" (como um bom cabelereiro o faz), ela disse "quê isso, mas o seu cabelo tá IMENSO, ele tá numa condição não tão boa, corta logo e assim nasce o cabelo novo já livre da química e em melhor condição". Que, racionalmente falando, tem total sentido. Mas quem é que disse que corte de cabelo é uma coisa racional? É emoção pura, minha gente - e cabelereiros mundo afora devem saber disso. O resultado, trinta minutos depois?









Eu não consegui tirar fotos de frente porque simplesmente esqueci. Essas fotos já são no Mark Glenn Salon, e eu tava tão feliz com as minhas extensions que nem me lembrei de tirar uma foto de frente. Mas dá pra ver o estrago. Não é um HORROR daqueles estilo "metade da cabeça raspada e outra metade grande", mas peço a compreendão de que esse cabelo aí está es-co-va-do, limpo e recém-saído do chuveiro. É só adicionar um pouquinho de maldade no olhar pra ver como ele fica depois de dois dias sem lavar, dormindo, andando pelas ruas, tomando sol, chuva e suor. Praticamente um ninho de mafagafos em camadas, diversos mini-mullets voando por aí.

E sim, o corte está TORTO. Completamente. Eu mandei a cabelereira parar no meio do corte quando ela meteu a tesoura no meu lado direito e eu vi que ficou muuuito mais curto que a esquerda. Pois é, chegou a esse nível. Mandei PA-RAR tudo. Falei "não gostei, não tá ficando do jeito que eu queria, pára". Ela tentou terminar o corte, me convencer por mais de 10 minutos que era pra eu continuar e que ia ficar bom, mas eu fui resoluta. E olha que eu sou a pessoa mais boazinha do mundo, aguento barbaridades que fazem em mim pra não magoar as pessoas (pois é, soy loka de piedra) mas dessa vez juntei minhas forças e fiz o que deveria.


não reparem nessa cara de doida, mas essa foi a melhor foto que encontrei
para mostrar o meu cabelón... sentiram agora o TAMANHO do drama?


Aliás, recomendo A TODAS a fazer SEMPRE isso. Nada de deixar pessoas que trabalhem na área da beleza fazerem o que bem entendem com vocês não, viu? Porque se você está aqui nesse blog, é porque se interessa por moda e beleza mais que a média da população e, provavelmente, sabe o que quer pra você (ao contrário da imensa maioria, que não tem a menor idéia). Então tenha consciência disso e fale messsssmo. Se tiver que parar o corte no meio, que pare e deixe todo mundo a sua volta boquiaberto. Quem vai ficar andando por aí com corte estragado é você, não eles. Então faça a sua vontade valer.






 para efeitos comparativos: essas imagens eram o que eu queria...


Desesperei por dois dias e, num rompante, tive a idéia de hair extensons. Começou com aqueles clip-ins - eu já havia comprado um kit para uma amiga - e, procurando saber mais sobre eles na internet, me deparei com o Mark Glenn Salon. Recomendo a todos, mesmo pra quem não tem problema capilar algum, a ver o site. As transformações são impressionantes. Eles também são especializados em pessoas com problemas de perda capilar grave, como alopécia e cancer. Quando eu estava lá, uma moça com muito pouco cabelo (e bem ralinho) estava fazendo o seu, e o resultado é realmente chocante. Ela saiu com uma cabeleira super digna!

Fui atendida pelo próprio Mark e contei minha estória de terror. Ele chamou duas assistentes e a cabelereira-chefe do salão para ver o meu estrago. Disse que já havia recebido milhares de pessoas que não estavam satisfeitas com seus cortes de cabelo mas nunca tinha visto um corte tão mal feito na vida. Me explicou que a cabelereira espanhola NUNCA poderia ter cortado o meu cabelo da forma como cortou, porque ele é liso e os fios são grossos. Por mais que ela cortasse e repicasse, as camadas iam ficar ali, super marcadas e presentes. Quando eu mostrei as fotos do que eu queria (e que também havia mostrado à cabelereira), aí ele surtou! Disse que ela era uma irresponsável e que eu deveria pedir ressarcimento de danos, que ela deveria pagar pelas minhas extensions. Se ainda fosse na Inglaterra... mas aqui, Espanha, é quase Brasil. Vão rir na minha cara se eu for lá pedir por isso, infelizmente.

Um parêntesis engraçadinho: uma cabelereira havia saído pra almoçar e, quando voltou, me viu no salão. Acho que ela ficou tão chocada com o meu corte (sério, as fotos não fazem jus, gente, ficou muito horrendo) que veio perguntar onde eu havia cortado. O Mark, mais rápido que eu, respondeu: "no salão do Stevie Wonder"! Rindo pra não chorar...

Pois bem, o resultado depois das hair extensions?









O cabelo que eu originalmente queria. Fiquei impressionada como a cor fica perfeitamente idêntica à minha, e é impossível de notar onde termina o cabelo e onde começam as extensions. Elas não são essas que usam química ou cola, são super tranquilas e fake (sem o peso na consciência de estar usando um cabelo de alguém por aí...) e o mais importante, não agridem o meu cabelo de forma alguma. Doeu um pouquinho nos dois primeiros dias mas não é nada demais, só um incômodo mesmo. E dá um trabalhinho extra no cuidado das madeixas, especialmente a primeira lavagem. Mas o resultado final ficou ótimo e eu não me arrependo nem um pouco. Vamos ver daqui a três meses, quando elas "expiram", se eu mudarei de idéia!




E aqui uma foto que tirei com meu celular das extensions completas: eu de volta com o meu cabelón! O Mark não me deixou ficar com esse comprimento porque ele era muito diferente do tamanho do meu cabelo, ia dar uma trabalheira só pra cuidar e ia custar caríssimo! Ele mesmo não me deixou pagar pelo mais caro, e olha que eu fiquei super tentada! Dá pra ver que o cara é profissional acima de tudo. Quisera todo mundo fosse assim...

Ficaria aqui falando por horas e em detalhes sobre como foi todo o processo e tudo mais que aconteceu ao longo dessa jornada, mas ninguém ia aguentar um post desse tamanho! Quem quiser saber mais sobre as hair extensions ou me perguntar qualquer coisa sobre colour stripper, tinturas, cortes mal feitos, o que seja, é só deixar um comentário que eu tentarei responder do alto da minha sabedoria de quem já fez (e teve feito) muita M no cabelo!!!

7 comentários - Comente aqui!:

Renata Nogueira said...

Ficou super natural! Mto legal! Bjs!

Nads said...

Nossa, ficou muito lindo!
Parece que eh seu mesmo!!!
Ai meu sonho eh encotnrar um cabelereiro descente aqui... aiaiiaia.
ehehe

Pati E. said...

Nossa Carol, estou boba...o resultado do hair extension ficou perfeito!!! lindíssimo!!! adorei!!! e adorei o cabelo midi em vc!!! lindona!!!
E pode continuar com posts enormes q eu adoro todos hehe
Fiquei feliz q a saga do bad hair cut teve um final hiper feliz =)
beijo grande

Rosana Krisgue said...

Carol, eu sempre leio o teu blog e apesar de saber como o comentário é importante...acabo deixando passar!Mas dessa vez não pude, seu cabelo está LINDO!!
beeijo

Bonequinha de Luxo said...

Carol, eu te avisei, eu bem que te avisei e dei minha opinião de cabeluda hauhauahaua, menina achei que tivesse ficado pior, mas se fosse no meu eu tinha matado a perua hahaah!!Mas deixando o horror de lado, vc acertou em cheio com o profissional , suas extensions, ficaram lindasssssss, amei o resultado, jamais alguém irá perceber se vc não contar, ainda bem que vc está mais feliz né amiga!!Bjs, va.

Lu E Cris said...

O resultado ficou lindo, querida!! Super natural... Impressionante.

Agora, sua narrativa dos fatos é impagável! Amo... rsrs Beijos!!

Luísa said...

admiro tua coragem! parabéns! sou bem como tu, fico com medo de magoar as cabeleleiras e fico quieta. ah e também já sofri muito por cortes mal feitos... triste!

tu ficou perfeita *-* lindas as tuas madeixas!!

 
BlogBlogs.Com.Br