Wednesday, 20 October 2010

lookbook love(and hate?): Bordelle s/s 2011

A Bordelle é uma marca de lingerie que me vez voltar a gostar de ver roupas íntimas femininas. Honestamente, já tem uns dois ou três anos que eu me sinto um pouco cansada de ver sempre as mesmas coisas... Pra vocês terem uma idéia: a descoberta mais recente que me empolgou no quesito lingerie foi uma linha de calcinhas de super compressão da Marks & Spencer - que, aliás, meninas, faz milagre. Empurra tudo pra dentro, levanta, ajeita e, dependendo do seu corpo, pode tirar até 4cm de cintura e quadril (e de cada parte, não é somado não)!

Isso é MA-RA-VI-LHO-SO mas, convenhamos, é total Bridget Jones. Eu muitas vezes penso que nasci na época errada porque sou über chegada numa *compressão*, e até hoje não entendo porque se pararam de fazer os corsets e collants que se usavam nos anos 50, moldando os corpos de uma forma linda... E sei que a maioria das peças de compressão vendidas hoje falham no quesito principal: o da beleza. De toda forma, se alguém tiver interesse, posso passar o link - porque, afinal, tô aqui pra falar da Bordelle!

E a marca tem um frescor que a Agent Provocateur tinha a uns 10 anos atrás. Baseada no conceito de bondage meets bandage, a Bordelle usa fitas de cetim e cria um visual muito similar às roupas de Hervé Leger mas com uma estética mais parecida a um "sadomasoquismo chic". As peças são extremamente diferentes e lindas de morrer. A primeira vez que vi fiquei completamente apaixonada. E pensar que essas "tiras de cetim" nada mais são que versões aumentadas de uma alça de sutiã... Fruto da criatividade de Alexandra Popa e Javier Suarez, os fundadores da marca.

Agora, algo que me deixou - e novamente deixa - um pouco blasé com relação aos lookbooks da Bordelle (você pode ver os anteriores no site deles) é que as modelos estão sempre com a mesma cara. Aquela, sabe... de modelo de lingerie? Aquele olhar de "desejo", aquela cara de "estou aqui pro que der e vier, amigão" - tudo entre aspas mesmo, porque não tem cara mais fake que essa. Eu não entendo esse "estilo" de fotos porque, em teoria, quem vê lookbook, assina catálogo e se interessa em ver essas fotos com o intuito de comprar as peças (e não ficar só olhando e babando) são mulheres. Fazer isso uma vez ou outra pra mostrar a situação de "compre essa lingerie e você ficará tão linda quanto esta modelo e seu/sua amado/a fará um olhar recíproco assim que te ver" eu entendo. Mas fazer TODAS as vezes? Num capto não.

De toda forma, posto os looks para vocês verem como as peças são *lindas* (e como é fake a cara da tia posando... hehehe). E deixo a dica pro pessoal da Bordelle: o vídeo de Beyoncé cantando "Why don't you love me", o clipe que leva o troféu de melhor estética fashion do último ano FÁCIL. Claramente inspirado nas passarelas (e, claro, no fenômeno Mad Men que assola os Estados Unidos), o clipe é sexy e usa ao seu favor o 'clichê' das pin ups.

Imagina essas peças fazendo um estilo pin-up do novo milênio? Com uma modelo menos photoshopada até virar uma Barbie e com menos cara de fake-desejo... Fica a dica, Bordelle!!! Suas peças merecem!
















As peças merecem ou não merecem uma estilizada à lá "why don't you love me"?

5 comentários - Comente aqui!:

Geise said...

Modelinhos bem ousados né?

Beijos,
http://meumundosobretudo.blogspot.com/

Lay Rosa said...

MINHA NOSSA Q ARRASO... isso faz até difunto levantar kkkkkkk mas realmente é super cansativo essas carinhas de "desejo" !


bjus

Carolina said...

Adorei o post... achei as lingeries bem interessantes, mas a cara de "fake-desejo" em todas as fotos deve ser porque realmente as peças são super eróticas e têm essa sensualidade mais agressiva, meio sadomasoquista, como vc mesmo se referiu... acho que por isso eles quiseram essa cara das modelos... são lingeries para usar na hora H mesmo, né... não me imagino usando isso para passar muito tempo... rsrs Gostei muito desse clipe. Curto bastante esse estilo pin up. E a letra dessa música é ótima. O clipe ficou perfeito. Bjoooo

querou aquino said...

oi carolina,

a minha reclamação vem do "conjunto da obra". se olhar os outros lookbooks da bordelle as modelos mudam, mas o look geral é sempre o mesmo (e não só a cara de fake-desejo).

entendo que as peças passem uma identidade bem certeira mas o legal de um editorial fotográfico é exatamente expandir esse conceito, fazer uma coisa completamente inesperada. isso é o que capta a atenção do consumidor.

minha análise vem de um ponto de vista de êxito de marketing direcionado à consumidora feminina, e nesse quesito acho que o pessoal da bordelle erra feio.

beijos!
carol

Lu E Cris said...

As fotos 5 e 6 mostram todo o luxo de uma boa ligerie. Me vejo fácil, fácil dento delas... São de babar... Amo também uma cintura bem marcada... Uma boa peça q deixe os seios bem vestidos... Acho o máximo! Só agrega valor a uma produção. Adorei o post! Seu humor nas entrelinhas é demais! E as caras da tia, são de amargar... rsrsr Beijos!!

 
BlogBlogs.Com.Br