Sunday, 16 May 2010

o impacto dos blogs de moda

Como sempre, o "De Chanel na Laje" me impressiona de uma forma ímpar. Essa é uma moça (ou senhora, senhorita, ou até senhor - será?) que eu realmente gostaria de conhecer na vida real, me aproximar, bater um papo e ver se dá uma liga, ser amiga. Os posts são sempre polêmicos, sempre te fazem pensar, colocam em questão muita coisa e incomodam muita gente.

E agorinha mesmo li o post "procura-se o lado B dos blogs de moda", que menciona o comentário que uma das leitoras deixou no blog, meio revoltada com o "meio blogueiro". Por um lado, eu fiquei SUPER mau humorada com a menina que deixou esse comentário, porque vejo malícia nas entrelinhas do mesmo. E acredito que quem acha que "todos os blogs de moda podem ser reunidos num grande saco de gatos" tem que, NO MÍNIMO, mostrar o que é "o bom" e fazer seu próprio blog. Reclamar por reclamar pra mim é coisa de "comunista do Leblon" - é inconformada com o mundo mas não sai do seu conforto pra fazer nada a respeito.


troféu abacaxi pra essa comentarista do De Chanel na Laje


Contudo, o post abriu à discussão um lado que eu nunca havia pensado que existisse - e que foi super falado na seção dos comentários do post da De Chanel. Milhares de meninas dizendo que se sentem "excluídas" da moda pelo que lêem nos blogs famosos, que gastam mais do que deveriam porque vêem que "o esmalte do momento" ou "a bolsa it" é algo que elas (ainda) não tem. Que se intimidam porque não sabem usar ankle boots com vestido, ou se sentem humilhadas ao perguntar algo e receber uma resposta pra lá de mau educada por parte de quem escreve sobre moda - isso quando respondem.


sentindo-se excluído?


E isso me fez pensar... será que as pessoas pensam isso de mim? 

Não que eu seja "um dos blogs mais famosos de moda"... muito longe disso, aliás. Mas como já disse por aqui, eu sou a pessoa que mais se questiona na face da Terra. É o outro lado do "nasceu com o rei na barriga" - eu não me acho o máximo, mas sempre acho que a culpa é minha. Nasci com o rei culpado na barriga. E, por isso, fico sempre questionando meus movimentos, meus pensamentos, e agora, questionando o meu trabalho por aqui. 

Eu sei que existe esse "glamour" do exterior, essa coisa onde a maioria dos brasileiros pensa que "tudo que vem de fora é melhor". E não posso negar que existe MUITA coisa boa por aqui. Como mencionei diversas vezes, o acesso a informação/produtos/pessoas é muito melhor e maior, e eu não posso dizer que isso não me deixa feliz. 

Mas existem tantas outras coisas que não são legais... Esse não é um blog pessoal, então abrir minha vida ao público - mais do que já faço normalmente aqui! - não é o que eu quero. Mas deixo as portas abertas para que qualquer pessoa que queira saber como é viver por aqui entrar em contato comigo. No mais, a intenção do blog foi de criar esse acesso que creemos que é limitado no Brasil. Nunca foi de colocar as pessoas numa "situação desconfortável" porque elas não tem acesso a muitas das coisas as quais menciono aqui. Aliás, sempre fui a primeira a dizer que gostaria que o acesso às coisas no Brasil fosse muito maior - o post que fiz a respeito dos sites com entrega internacional é um desses exemplos. 


é ótimo... pero no mucho.


E mais: eu adoraria uma interação maior por parte das pessoas que lêem o blog. De saber o que as pessoas acham, o que gostariam de ver mais, o que gostariam de ver menos. Sempre tento instigar comentários, troco diversos e-mails, quero MESMO saber o que as pessoas estão pensando. 

Acredito que moda é para todo mundo - altos, baixos, velhos, novos, homens, mulheres, gordos e magros. Na Europa, na Ásia, no Brasil ou na Conchinchina. Moda deveria servir para integrar, não para excluir. Por isso mesmo que existem mil e uma "tribos", cada um com seus estilos. 

E, mais importante: acho que as pessoas estão confundindo demais moda com estilo. Moda é tendência, é o que "tá rolando agora". Estilo é o que se tem dentro de si, e isso ninguém pode copiar. Cada um tem suas influências, suas predileções, seu modo de ver a vida. E tudo isso influi no estilo. Uma pessoa com estilo é fashion maker, não fashion follower. As pessoas deveriam procurar ler blogs/revistas/programas sobre moda e deles tentar extrair idéias para montar seu próprio estilo, não seguir à risca o que eles dizem. Mas isso sou só eu. E espero que passe isso aqui, todos os dias.

7 comentários - Comente aqui!:

Vívian Galindo said...

Menina, amei seu texto! Adoro a forma como vc escreve!
Parabéns!

Beijo grande

Lu E Cris said...

Carol, depois vou comentar este post direitinho... [tenho que colocar a cria pra dormir..rsrs]
Para avisar que linkei seu post de moda/caridade no Duas. Veja como ficou, se está de acordo com o que vc publicou ou se quer q eu altere algo. http://dlvr.it/11gnx Volto depois pq este post merece comentário dedicado...rsrs

Mariana Lourenço said...

Ótimo post, entrei no blog para ver esse post sobre o lado b dos blogs de moda, algumas coisas que a menina escreveu até concordo, tem uns blogs mais que bizarros, mas até então somos livres para não entrar neles.

Quanto as coisas que vem de fora não acho que elas sejam melhores que as daqui, apenas acho que é mais facil encontrar coisas interessantes lá fora por preços melhores do que aqui!

E sobre o seu blog, eu simplesmente adoro! Sempre que posso estou por aqui! Tem ótimos posts!

Beijos

francwikla said...

Olá!
Nossa, super legal esse post, porque sei que acontece muito isso, mesmo.
Mas eu acho o seguinte: nós postamos aquilo que está na moda. E, muitas vezes, a moda surge de marcas famosas e caras. Mas, isso não quer dizer que tenhamos que ter todas essas coisas caras, mas serve para nos inspirar e fazer do nosso próprio jeito: tem muitas meninas que criam suas próprias roupas tendências, outras que compram um similar baratinho (pq sempre tem as marcas nacionais que lançam produtos super similares aos que estão na moda lá fora), e assim vai.
Então, creio que os blogs de moda devam, sim, mostrar tudo o que está sendo notícia aqui e no exterior, mesmo sendo coisas caras. Porém, nós leitoras devemos usar isso a nosso favor e seguir a moda do nosso jeito, fazendo com que os posts sirvam de referências para nosso próprio jeito e bolso $$$ hehehehe

Aproveitando, quero informar que você ganhou vários selinhos do meu blog. Dá uma passadinha lá para conferir:

www.muralfashion.blogspot.com

Lu E Cris said...

Carol, como temos falado em nossos e-mails, tem espaço pra todo mundo! Um blog, além de ser um diário, pode funcionar como uma revista eletrônica sobre determinados assuntos. Daí, vamos escolher o que e quem ler. Certamente, diante da grande visibilidade que os blogs tomaram influenciando até mesmo na aquisição de produtos por parte das leitoras, tomou também um cunho comercial, profissional. E, se passamos para o lado da democracia, cada um tem o direito de escrever o que quer e como quer, desde que a ética e postura clara sejam mantidas. Muito hipócrita falar em democracia e querer determinar como deve ser um blog. Ele vai ser como a dona quiser que seja e vai ter as seguidoras e leitoras que compartilham de suas idéias. As polêmicas em torno do tema fervem na internet. Eu, leio muitos blogs... Em alguns, nem volto. Outros, leio diariamente. E assim vamos: conhecendo, agregando, somando, dividindo, compartilhando, sempre que possível. Sobre o The Trend, vc já sabe minha opinião: para mim é um dos melhores, com assuntos difereciados, abordagem nada afetada, sem ditar regras... como deve ser: informação da melhor qualidade. Amo a forma como vc posta! O importante é seguir uma linha, um projeto. Se este projeto for falar de banalidades, futilidades, postar fotos, quem gostar, vai acompanhar. Cada um deve ser fiel ao que planejou. O melhor ou o pior, o com ou sem conteúdo, a opinião vendida ou a oferecida de maneira imparcial - não importa. Terá publico para todos. Vamos exercer a democracia, com respeito, ética e parceria. Não existe uma fórmula mágica para um Blog. O mesmo tb vai ter altos e baixos. E tem aqueles que escrevem só para si... sem seguidores. No fim, a democracia deve prevalecer, bem como o respeito e dignidade, evitando cópias de posts, textos reproduzidos sem autorização. No mais, sejamos TODOS felizes cada um em seu espaço! Bjokas querida.

Katy said...

Mas é realmente isto que eu gosto em seu blog! Você passa tendências sem influenciar, ou fazer disto uma ditadura.
Tudo de uma forma muito sutil e elegante. Realmente, eu concordo em partes com o que a leitora do DCNL escreveu. Eu quero realmente um blog simples, que fale de moda na sua essência, respeitando o estilo que cada um tem. E você faz isso.
Já ví muitos blogs de moda que praticamente escrevem: "se você não tiver estas ankle boots, você não é nada". Não quero isso. Moda não precisa ser fútil como passam alguns blogs. Mas se eu não gosto, apenas não volto. Afinal, o sol é para todos. E mais uma vez, como já lhe disse: Amo seu blog, ele é simples, direto e divertido. ADORO!

modatendencias said...

Carol!
Não se sinta "opressora" hhaha!
Sinceramente, não temos nada que ver com essas meninas que se sentem "excluídas da moda" ou "altamente influênciáveis pelos blogs".
O que essas meninas precisam é de conteúdo, de uma cabeça bem feita para saber filtrar o que é melhor para si, e elas nunca vão conseguir isso apenas lendo blogs de moda, e nem é função das blogueiras formar e instruir essas pessoas.
Beijos, continue com seus posts que eu adoro!
Lucky

 
BlogBlogs.Com.Br